O lucro do grupo Jerónimo Martins, que detém os supermercados Pingo Doce, aumentou 3,3% nos nove primeiros meses deste ano, face ao mesmo período do ano passado, atingindo os 281 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo adianta que, se as contas excluírem o investimento em novos negócios, o lucro acumulado até setembro cresceu 11,8%.

Em termos trimestrais, ou seja, no período de junho a setembro, os resultados líquidos diminuíram 3,8% relativamente ao mesmo trimestre de 2012.

Segundo a Jerónimo Martins, as vendas consolidadas nos nove primeiros meses do ano aumentaram 11,5%, chegando aos 8,7 milhões de euros, sendo que no terceiro trimestre o crescimento foi de 9,6%.

Também os custos operacionais do grupo aumentaram no período até setembro, crescendo 9,3% e passando para -1,3 milhões de euros.

Resultados que levaram a Jerónimo Martins a apresentar um lucro operacional de 388 milhões de euros, o que representa mais 6,1% do que no período homólogo de 2012.

De acordo com Pedro Soares dos Santos, a Jerónimo Martins vai atingir este ano «um crescimento de vendas acima do mercado».

A expansão na Polónia continua a ser uma prioridade do grupo, diz a empresa de Soares dos Santos, tendo a Biedronka inaugurado 128 novas lojas até setembro, altura em que inaugurou dois novos centros de distribuição.

Em Portugal, «o ambiente continua difícil, embora existam alguns sinais de estabilização no mercado de retalho alimentar», alerta a Jerónimo Martins, admitindo que as vendas do retalho alimentar aumentaram 1,9% no terceiro trimestre e 1% nos nove primeiros meses.