O CaixaBank, que controla quase 40% do BPI, obteve lucros líquidos de 458 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, mais 164,5% do que no mesmo período de 2012..

Segundo uma nota divulgada pela Lusa, estes resultados devem-se à integração contabilística do Banca Cívica e do Banco de Valencia e à «geração sustentada» de rendimentos do negócio bancário e das participadas (569 milhões de euros).

Desde o início do ano, o banco presidido por Isidre Fainé realizou «saneamentos e dotações» no valor de 5.956 milhões de euros, dos quais 3.449 milhões se realizaram contra resultados.

A entidade bancária destaca que «este intenso processo de reestruturação do modelo» permitirá aumentar a eficiência, garantindo a obtenção das sinergias de custos previstas nas integrações da Banca Cívica e do Banco de Valencia.

No final de setembro já se tinham concretizado 98,3% das sinergias previstas para 2013 (423 milhões).

Os recursos totais de clientes atingiram os 299.332 milhões, com um aumento no ano de 8.404 milhões.

Os créditos brutos caíram 3,5%, para os 215.312 milhões, e o crédito malparado atingiu os 11,4%, abaixo da média do setor (12,12% em agosto).

CaixaBank é líder no mercado espanhol, com 13,7 milhões de clientes, ativos de 342.675 milhões, um volume de negócio de 514.644 milhões, uma quota mercado de 27,4% entre particulares e a liderança na maioria de segmentos e produtos.