O lucro da Teixeira Duarte aumentou 122% para 15,9 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano em relação ao período homólogo de 2013, quando a atividade da empresa aumentou mais de 10% nos mercados externos.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo informou que o volume de negócios aumentou no mesmo período 4,2% para 356,5 milhões de euros, com os mercados externos a representar 84,4% da faturação.

Até março, o volume de negócios em Portugal caiu 23,9%, sendo compensado pela operação além-fronteiras que aumentou 11,8%.

Já o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) registou um aumento de 31,1% face a março de 2013 e fixou-se em 70,6 milhões de euros.

Em março, o endividamento líquido atingiu 1,19 mil milhões, o que traduz um aumento de 1,5% em relação ao final do ano passado.

O número médio de trabalhadores no final do trimestre era de 12.705, registando um aumento de 5,8% face a 31 de dezembro de 2013.

Em 2014, a empresa prevê um crescimento da atividade em vários países com expressão na atuação do grupo no mercado externo, nomeadamente o aumento significativo na Venezuela, que é já o segundo principal mercado do grupo (20%), depois de Angola que representa 45% do volume de negócios. Portugal contribuiu com 15,6%.

A carteira de encomendas do grupo Teixeira Duarte para o setor de construção atingiu, na sua globalidade, os 2,2 mil milhões de euros no final de março, um acréscimo de 6,7% face ao final de 2013.