O lucro da REN caiu 9,3% no primeiro semestre deste ano, face ao mesmo período do ano passado, atingindo os 64,1 milhões de euros, anunciou a empresa em comunicado.

A empresa atgribui a deterioração dos resultados à redução da taxa de remuneração dos ativos elétricos, decorrente da diminuição do risco da dívida pública portuguesa.

O EBITDA (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) desceu 0,7% para 259,9 milhões de euros, pressionado pelo «forte recuo da taxa de remuneração dos ativos elétricos, de 9,76% para 8,03% nos primeiros seis meses do ano face ao homólogo».

A remuneração dos ativos está indexada ao risco da dívida pública, que diminuiu nos primeiros seis meses do ano.

Os custos operacionais baixaram 4,2% para 51,8 milhões de euros.

A dívida líquida subiu 1,9% para 2,5 mil milhões de euros, mas o custo médio da dívida, baixou de 5,7% para 5,65%.

«Esta evolução corresponde a uma inversão da tendência ascendente dos últimos três anos e contribuiu para uma ligeira evolução positiva dos resultados financeiros líquidos, que também beneficiaram da redução do nível da dívida e do aumento dos dividendos» recebidos de empresas de que a REN é acionista (HCB, Red Eletrica España e Enagás), explica a empresa.

A REN investiu até ao final de junho 58,9 milhões de euros, menos 21,4% do que no primeiro semestre de 2012.