O lucro da Portugal Telecom (PT) aumentou 46,6% em 2013, face a 2012, para 331 milhões de euros, divulgou hoje a operadora.

Já em termos trimestrais, o resultado líquido da operadora caiu 35,3%, para 25,9 milhões de euros, face aos 40,1 milhões de euros alcançados em igual período do ano anterior.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a PT justifica o melhor desempenho no ano passado com «o ganho registado relativo à venda da participação na CTM» - Companhia de Telecomunicações de Macau.

A operadora refere ainda o efeito de «menores amortizações nos negócios em Portugal» e de «maiores ganhos não recorrentes». Em 2012 o lucro da PT tinha ficado nos 226 milhões de euros.

A PT diz, no entanto, que «os resultados de 2013 foram penalizados por um menor EBITDA [lucro antes de impostos, depreciações e amortizações] dos negócios de telecomunicações em Portugal e pelos custos relativos a um programa de redução de efetivos de aproximadamente 400 colaboradores», implementado no segundo trimestre e que ascenderam a 127 milhões de euros.

A operadora de telecomunicações fala ainda em «maiores juros líquidos suportados nos negócios em Portugal, devido a um aumento no custo da divida e a um menor retorno das aplicações», a que acrescenta uma redução na participação da PT nos ganhos das empresas associadas e joint-ventures.

As receitas operacionais consolidadas da PT em 2013 baixaram 5,4% para 2,911 mil milhões de euros, enquanto o EBITDA ascendeu a 1,162 mil milhões de euros, correspondente a uma margem EBITDA de 39,9%.

«Assumindo a consolidação proporcional da Oi e a Contax, as receitas operacionais totais teriam ascendido a 5,988 mil milhões de euros em 2013, diminuindo 9,3% face a 2012 e com a Oi a representar 2,66 mil milhões de euros», refere a PT.

Neste contexto, acrescenta, a contribuição dos ativos internacionais para as receitas operacionais totais teria sido de 56,5% em 2013, com o Brasil a representar 51,3%, o que compara com os 58,4% e 53,3% em 2012, respetivamente, no seguimento do impacto da desvalorização do real brasileiro face ao euro.

A dívida líquida (ajustada pelos créditos fiscais não utilizada relacionada com a transferência dos planos de pensões regulamentares para o Estado português) ascendeu a 4,619 mil milhões de euros e o CAPEX (investimento) caiu 10,9% para 589 milhões de euros.

A 31 de dezembro do ano passado, as responsabilidades projetadas com benefícios de reforma relativas a complementos de pensões e cuidados de saúde ascendiam a 494 milhões de euros e o valor de mercado dos ativos sob gestão ascendiam a 494 milhões de euros e o valor de mercado dos ativos sob gestão ascendia a 386 milhões de euros, face a 503 milhões de euros e 399 milhões de euros em 2013, respetivamente.

A PT seguia pelas 09:40 a cair no Euronext Lisbon 0,85% para 3,37 euros.