A Media Capital registou lucros de 5,5 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, mais 35% que no mesmo período do ano passado, anunciou o grupo que detém a TVI em comunicado. Uma melhoria que se deve, em parte, «à redução dos encargos financeiros líquidos».

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) manteve-se praticamente estável nos 16,6 milhões de euros, e os proveitos operacionais caíram «apenas» 4% para 87,4 milhões de euros, «não obstante o impacto negativo da envolvente económica no mercado de publicidade (que se estima ter recuado 17% até maio)». Um resultado possível graças à «aposta do Grupo no desenvolvimento de fontes de receita complementares à publicidade».

Os gastos operacionais recuaram 5% para 70,76 milhões, «não obstante a redução das anulações de transações intra-grupo, de entre as quais a produção audiovisual da Plural para a TVI (por menor venda de conteúdos da primeira à segunda)». Os gastos só não recuaram ainda mais porque no ano transato o volume de produções vendidas foi maior do que no corrente ano, fazendo com que os gastos (e

também rendimentos) anulados sejam este ano inferiores, gerando assim um efeito de aumento dos gastos

consolidados.

O resultado operacional (EBIT) consolidado atingiu os 11,7 milhões, mais 7% que no homólogo.

Os rendimentos de publicidade recuaram16%, devido ao peso da Televisão, no qual a publicidade recuou 18%. No segmento de Rádio verificou-se uma subida (+2%), ao passo que o segmento Outros ficou 4% abaixo do ano transato.

Em compensação, os outros rendimentos operacionais subiram 16% relativamente ao semestre do ano anterior, com o impacto a advir sobretudo do segmento de Televisão, que compensou a queda verificada no segmento de Produção Audiovisual.