O lucro do grupo Impresa subiu 66,8% no ano passado, face a 2013, para 11 milhões de euros, «o melhor resultado líquido alcançado desde 2007», anunciou hoje a dona da SIC.

De acordo com a Lusa, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Impresa adianta que as receitas consolidadas avançaram 0,3% para 237,8 milhões de euros, «com um crescimento de 4,8% em publicidade (+7,2% para 94,6 milhões de euros em televisão)».

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) subiu 5,3%, no período em análise, para 31,9 milhões de euros e a dívida bancária líquida reduziu-se em 6,3% para 176,4 milhões de euros.

«Esta redução é reflexo da aposta continuada na desalavancagem financeira do grupo. Nos últimos seis anos, a dívida líquida baixou cerca de 65 milhões de euros», refere a Impresa no comunicado.

As receitas consolidadas da televisão subiram 2,3% para 177,5 milhões de euros, enquanto as de Publishing caíram 6,9% para 58,7 milhões de euros, com a publicidade a subir 7,2%.

«No final do ano, as receitas publicitárias representaram cerca de 53% do total das receitas da SIC», adianta.

O EBITDA da televisão cresceu 6,7% para 31,7 milhões de euros e as de Publishing avançaram 0,9% para 4,5 milhões de euros.

Os custos operacionais de televisão subiram 1,4% para 145,8 milhões de euros.

As receitas totais de publicidade subiram 4,8% para 121,4 milhões de euros, as relativas à subscrição de canais cresceram 1,6% para 45,1 milhões de euros, «com um crescimento de 17,9% nas receitas internacionais», e as de circulação recuaram 5,9% para 25,6 milhões de euros.

A Impresa adianta que a venda de conteúdos no mercado internacional cresceu 60,3% e as vendas da Infoportugal avançaram 22,3%, mas «não compensaram a descida de 8,3% no total das outras receitas», que totalizaram 45,1 milhões de euros.