A Galp Energia registou lucros de 14 milhões de euros no primeiro trimestre do ano. O valor representa uma queda de 78% face ao mesmo período do ano passado.

A venda de combustíveis caiu 1%, devido sobretudo à gasolina. O petróleo processado pela Galp também desceu 23%, o que fez com que as exportações da Galp para fora da Península Ibérica também afundaram 41%.

Em comunicado, a empresa explica que o consumo de combustíveis rodoviários continuou a ser penalizado pelo contexto económico adverso, mas a queda deve-se também a um efeito de calendário.

Este ano, ao contrário do que aconteceu no ano passado, o primeiro trimestre não contou com o efeito positivo da Páscoa.

Relativamente à refinação, a atividade foi prejudicada pelo mau tempo, que afetou a atividade dos portos e também pelo encerramento da refinaria de Sines para manutenção.

Refira-se que, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a petrolífera adianta ter registado um resultado líquido ajustado de 47 milhões de euros nos três primeiros meses do ano, menos 29 milhões do que no mesmo trimestre de 2013.

Nestas contas feitas pela empresa, o lucro caiu 37,9% no primeiro trimestre deste ano, face ao mesmo período do ano passado, devido sobretudo a amortizações referentes ao complexo de hydrocracking em Sines, que transforma hidrocarbonetos de petróleo em gasolina.

O resultado líquido ajustado (RCA - Replacemente Cost Adjusted) exclui o efeito stock e eventos não recorrentes e é considerado como o indicador que melhor descreve o desempenho da empresa.