Os resultados líquidos da Corticeira Amorim sofreram uma redução de 2,3% em 2013 face ao ano anterior para um total de 30,3 milhões de euros, anunciou esta quinta-feira a empresa, que registou um aumento de vendas de 1,5%.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Corticeira Amorim referiu ter tido, no ano passado, «um exercício ao nível dos melhores já realizados», atingindo vendas consolidadas de 542,5 milhões de euros, um acréscimo de 1,5% face a 2012.

«Esta evolução foi, no entanto, condicionada pela desvalorização de todas as suas divisas de exportação. A desvalorização do dólar norte-americano foi, de longe, a que maior impacto negativo teve, quer a nível das suas vendas, quer a nível dos seus resultados», realçou a empresa presidida por António Amorim, que vai propor, na assembleia geral de 24 de março, a distribuição de 12 cêntimos de dividendo por ação.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) corrente desceu 5,3% para 78,1 milhões de euros.

«Apesar de uma conjuntura difícil e de incerteza, a Corticeira Amorim conseguiu atingir em 2013 um dos melhores anos de sempre. Em atividade, 542,5 milhões de euros de volume de negócios, com 78 milhões de euros de EBITDA, uma performance só abaixo de 2012», sublinhou o presidente do conselho de administração.