Estes cortes fazem parte do plano de eliminação de cerca de 9.000 postos de trabalho até 2017, que foi anunciado no ano passado, e vão afetar a rede de agências, a divisão de crédito ao consumo, de gestão do risco e de recursos humanos.

"O Lloyds Banking Group está comprometido em levar a cabo estas mudanças de uma forma cuidadosa e sensível", garantiu a entidade.