Os lucros do gigante tecnológico Apple subiram 33 por cento no primeiro trimestre, graças ao aumento de vendas dos iPhone e ao crescimento das operações na China.

De acordo com a Lusa, a empresa com sede em Cupertino, na Califórnia, revelou hoje que o lucro ascendeu a 13.570 milhões de dólares (12.463 milhões de euros) no segundo trimestre fiscal, que encerrou a 28 de março, contra os pouco mais de 10 mil milhões no mesmo período do ano passado.

O lucro por ação atingiu os 2,33 dólares (2,14 euros), em parte devido ao programa de recompra de ações, o que reduziu o número de títulos em circulação.

As receitas totalizaram 58.010 milhões de dólares (53.272 milhões de euros), mais quase 13 mil milhões do que em igual período do ano passado.

A empresa anunciou também hoje que a margem de lucro bruto atingiu os 40,8 por cento, acimas das estimativas que estavam entre os 38,5 e os 39,5 por cento. E comprometeu-se a devolver 200.000 milhões de dólares aos seus acionistas no âmbito da recompra de ações e de dividendos, até março de 2017.

As vendas de iPhone no trimestre que terminou no fim de março aumentaram em 40 por cento, para as 61,17 milhões de unidades. Ao mesmo tempo as receitas na China subiram 71 por cento, pelo que o país supera já a Europa como o segundo mercado da Apple, depois dos Estados Unidos.