As companhias aéreas europeias deverão atingir este ano um lucro recorde de 1,7 mil milhões de dólares (1,2 mil milhões de euros), estimou esta segunda-feira a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

No conjunto das companhias aéreas de todos os continentes, a associação reviu em baixa as suas previsões iniciais de lucros das companhias aéreas em 2013, de 12,7 mil milhões de dólares (9,4 mil milhões de euros, ao câmbio de hoje) para 11,7 mil milhões de dólares (cerca de 8,6 mil milhões de euros).

A revisão em baixa por parte da IATA deve-se ao impacto da subida dos preços do petróleo associada à crise na Síria e a um «dececionante» crescimento em vários mercados emergentes-chave.

Apesar disto, a associação prevê que, em 2014, o lucro das companhias aéreas alcance os 16,4 mil milhões de dólares (12,1 mil milhões de euros), as receitas 743 mil milhões de dólares (550 mil milhões de euros) e o número de passageiros deverá aumentar 5,8%.

Caso se confirmem estas perspetivas, 2014 seria o segundo melhor ano deste século, depois do recorde de 19,2 mil milhões de dólares (14,2 mil milhões de euros) de lucros alcançados em 2010.