O Grupo Lena obteve no último ano uma faturação de 200 milhões de euros na área da construção na Venezuela, Angola, Brasil e Argélia, o que representa um resultado «ímpar na sua história», anunciou o grupo.

As contas da empresa Lena Engenharia e Construções SA apresentam ainda um EBITDA (resultado antes dos encargos financeiros, impostos, depreciações e amortizações) de 47,2 milhões de euros, bem como resultados líquidos de 29,8 milhões de euros.

A Venezuela, com 25%, Angola com 19% e Brasil com 5% foram os três principais mercados do Grupo Lena, que pela primeira vez faturou mais nos mercados internacionais (51%), pode ler-se na nota hoje divulgada.

A construção representou 72% do negócio. Contudo, somada a atividade no ramo imobiliário e indústria complementar, o setor alargado da construção representou 90% da faturação total.

O bom desempenho nacional no setor de ambiente e energia compensou as atividades mais dependentes do mercado em Portugal nas áreas de construção, automóveis, turismo e comunicação, referiu o grupo em comunicado.

No total, no ano passado, o universo de empresas que constitui o Grupo Lena foi responsável por uma faturação de 495,4 milhões de euros, menos 2,6% dos resultados alcançados em 2011.

O EBITDA foi de 89,3 milhões em 2012, contra 36 milhões em 2011. Os resultados consolidados do grupo atingiram os 11,3 milhões, quando no ano transato tinham sido negativos em cerca de 22 milhões de euros.

Quanto à evolução da dívida bruta, baixou 40 milhões de euros, enquanto o rácio de dívida sobre EBITDA passou de 9,2 para 3,9.

Segundo a administração do Grupo Lena, os resultados apresentados ¿são fruto da implementação de um plano de transformação que o conselho de administração vem levando a cabo desde meados de 2010¿ centrado nas áreas de construção, ambiente e energia, aposta na internacionalização, simplificação da estrutura societária e melhoria na estrutura financeira.

A internacionalização do grupo de Leiria iniciou-se em 1998 no Brasil. Hoje, está igualmente presente em Angola, Argélia, Bulgária, Espanha, Marrocos, Moçambique, Roménia e Venezuela.