O Grupo Lena vai construir dois hotéis na Argélia, obras no valor de 60 milhões de euros, anunciou hoje o grupo, com sede em Leiria, que reforça, com este investimento, a presença naquele país.

Numa nota de imprensa, o Grupo Lena refere que as empreitadas, adjudicadas pela Direção Central das Infraestruturas Militares, do Ministério da Defesa da Argélia, consistem na construção de uma unidade hoteleira de quatro estrelas na maior província argelina, Tamanrasset, e outra de três estrelas em Setif.

Atualmente, o grupo tem em curso naquele país «dez empreitadas, numa carteira superior a 700 milhões de euros», destacando-se os hospitais de Tamanrasset e de Blida, ambos de 168 camas - iniciados em 2012 e com data de conclusão prevista para este ano- e o complexo imobiliário «La Tour des Galets», na cidade de Oran, num investimento de aproximadamente 5,6 milhões de euros.

O presidente da comissão executiva do Grupo Lena, Joaquim Paulo Conceição, citado na nota de imprensa, refere que «a internacionalização é um dos pilares de crescimento» desta entidade, «com um peso de 55% nas atividades em 2013, prevendo-se que ultrapasse os 90% em 2018».

«Queremos ser um dos principais grupos ibéricos ligados à construção, ambiente e energia, com uma presença internacional sustentada, rentabilidades ao nível das melhores práticas e uma estrutura de capitais equilibrada», acrescenta Joaquim Paulo Conceição.

Presente no mercado argelino desde 2005, o Grupo Lena conta com um portefólio de obras em diversas vertentes técnicas, como portos marítimos, infraestruturas hospitalares, vias de comunicação que representam mais 250 quilómetros de estradas e, mais recentemente, edifícios residenciais e parques de estacionamento.

«As principais obras realizadas ascendem a 117 milhões de euros, com recurso a meio milhar de colaboradores locais e quatro dezenas de expatriados», adianta a nota de imprensa.

Recentemente o Grupo Lena assinou um protocolo de cooperação internacional com 17 empresas portuguesas de engenharia e construção, no âmbito de um objetivo de internacionalização que aponta para a construção de 200 mil fogos habitacionais em pelo menos seis países, incluindo Argélia, até 2020, o que representa um volume de negócios superior a 10 mil milhões de euros.

O projeto, denominado «Casas para o Mundo», permitirá ainda ao Grupo Lena e às empresas parceiras a entrada em novos mercados de África e América do Sul.