A greve parcial dos trabalhadores da Soflusa, responsável pelas ligações fluviais Barreiro/Lisboa, regista esta segunda-feira de manhã uma adesão de 100%, disse à agência Lusa uma fonte sindical, adiantando que os serviços mínimos estão a ser cumpridos.

Os trabalhadores da Soflusa iniciaram na madrugada de domingo uma greve parcial de sete dias, que vai afetar diariamente as ligações entre Barreiro e Lisboa nas horas de ponta.

Em declarações à Lusa, José Oliveira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), disse que a adesão é total, apesar de haver trabalhadores a assegurar os serviços mínimos impostos pelo Tribunal Arbitral.

«No período que vai até cerca das 09:30 estão previstas duas carreiras ao abrigo do que são os serviços mínimos (...) A adesão é total tendo em conta que estes trabalhadores não estão a trabalhar por vontade própria, mas por uma imposição de um acórdão do Tribunal Arbitral sobre serviços mínimos», sublinhou.

Também uma fonte da empresa disse hoje à Lusa que os serviços mínimos estão a ser cumpridos, tendo-se realizado duas carreiras antes das 07:30, não tendo avançado valores sobre a adesão.

O sindicalista José Oliveira garantiu à Lusa que a greve é para manter até ao final da semana, salientando que esta greve decorre não das questões relativas à empresa, mas dos cortes que o Governo quer fazer.

Os trabalhadores da Soflusa estão contra os impactos do novo regime jurídico do setor público empresarial, considerando que vão sofrer uma redução salarial de cerca de cem euros.

As ligações devem regressar à normalidade hoje pelas 10:40.

No período da tarde de hoje, o último barco é o das 16:25, com as ligações a serem retomadas às 20:55.