O Governo recebeu 109 propostas no processo de consulta pública sobre o contrato de concessão da RTP, sendo mais de 80% de cidadãos individuais, divulgou esta segunda-feira o gabinete do ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional.

«Recebemos propostas das principais instituições ligadas ao audiovisual, mas também de muitos cidadãos que desejaram participar nesta discussão sobre o futuro do serviço público de media em Portugal», lê-se no comunicado divulgado pelo gabinete do ministro Miguel Poiares Maduro.

Segundo a mesma fonte, «mais de 80% dos contributos são de cidadãos individuais», sendo os restantes de «instituições relacionadas com o setor».

A consulta pública contou com contributos de «vários funcionários» e de antigos trabalhadores da RTP, dos sindicatos e da Comissão de Trabalhadores, tendo o Governo recebido ainda «propostas de produtoras independentes e de profissionais ligados ao meio».

De acordo com o ministério tutelado por Poiares Maduro, os contributos «não se limitaram ao contrato de concessão», tendo surgido propostas que incluíam «o apelo à entrada de mais canais da RTP na TDT», mas também «críticas sobre o aumento da Contribuição para o Audiovisual ou às responsabilidades de programação imputadas à RTP2».

A próxima fase, acrescenta a mesma fonte, será a compilação da informação recebida e a preparação da proposta final do Contrato de Concessão da RTP, que vigorará nos próximos 16 anos.