O Governo quer privatizar a Caixa Seguros através de venda direta, revela esta quinta-feira o Diário Económico. O prazo para apresentação das propostas vinculativas da Apollo e da Fosun termina no dia 16, sendo que a decisão final deverá ser anunciada no início de 2014.

Quem vencer a privatização do negócio segurador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) terá de pagar 100 milhões de euros de prestação pecuniária inicial, uma espécie de sinal definido muitas vezes em processos de privatização.

De acordo com um despacho desta quarta-feira da ministra das Finanças, publicado em Diário da República, «o montante da prestação é fixado em 100 milhões de euros, independentemente do preço apresentado na proposta vinculativa e da percentagem de capital social das empresas seguradoras efectivamente a adquirir». Este montante terá de ser pago antes da celebração dos contratos de venda directa.

Ontem, também por despacho de Maria Luís Albuquerque, foi também tornado público que o vencedor terá de apresentar uma garantia bancária, correspondente «à diferença entre o montante global do preço oferecido para a compra e o montante da prestação pecuniária inicial».