A Galp anunciou hoje que o consórcio de que faz parte para explorar as águas ultra profundas do offshore de Angola decidiu investir 11,5 mil milhões de euros num novo projeto chamado Kaombo.

Em comunicado hoje divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a petrolífera explica que o projeto Kaombo está localizado «aproximadamente a 260 km offshore de Luanda, em águas com uma profundidade entre os 1.400 e os 1.900 metros e irá desenvolver seis das 12 descobertas já realizadas no Bloco 32», onde o consórcio está focado.

Os seis campos a explorar são os de Gengibre, Gindungo, Caril, Canela, Mostarda e Louro e cobrem uma área de 800 quilómetros quadrados nas zonas central e sudeste do bloco.

De acordo com a informação disponibilizada, o consórcio, do qual fazem parte, além da Galp, também, a Total, a Sonangol e a ExxonMobil, espera que o novo projeto tenha uma capacidade de produção de 230 mil barris por dia e reservas de 650 milhões de barris.

O início da produção do Kaombo está previsto para 2017, sendo que o projeto, cujo investimento deverá atingir 16 mil milhões de dólares, ou seja, 11,5 mil milhões de euros, contempla 59 poços interligados a duas unidades flutuantes de produção, armazenagem e expedição através de linhas subaquáticas com cerca de 300 km de comprimento.