O presidente executivo da Galp disse esta segunda-feira que a empresa decidiu não participar no leilão para a exploração no campo petrolífero de Libra, na Bacia de Santos, no Brasil, «por prudência financeira».

«Poderíamos ter estado no projeto Libra. Quando começamos a ver o perfil de ¿cash flow¿ [saldo entre as entradas e saídas de capital] associado a esse projeto entendemos, por prudência financeira, não participar na licitação», afirmou Manuel Ferreira de Oliveira, em resposta aos jornalistas, durante a apresentação dos resultados da Galp referentes aos nove primeiros meses deste ano.

A Petrogal Brasil, que inclui a Galp, que estava inscrita para participar na licitação, não apresentou proposta.

Um consórcio formado por cinco empresas - Shell Brasil, Total, CNPC, CNOOC e Petrobras - venceu o leilão que confere o direito de exploração no campo petrolífero de Libra, na Bacia de Santos.