Há inspetores das Finanças não identificados a contactar proprietários que arrendam casas no verão, a fazerem-se passar por turistas, escreve o «Jornal de Notícias».

O objetivo é identificar quem não declara rendimentos conseguidos com arrendamentos de curta duração. A informação foi revelada ao mesmo jornal pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio.

O ano passado, segundo a Associação de Hotelaria de Portugal (AHP), houve quatro milhões de dormidas ilegais, avaliadas em 80 milhões de euros.

Note-se que, se fossem legalmente contabilizadas, permitiriam ao Fisco arrecadar cerca de 20 milhões de euros em impostos (IRC/IRS e IVA), confirma o governante, conclui o jornal.