A Fidelidade foi vendida em maio à chinesa Fosun e agora, quatro meses depois, os trabalhadores da seguradora já podem, finalmente, adquirir ações da empresa, e com 5% de desconto. O Conselho de Ministro definiu esta quinta-feira as condições da fatia reservada aos funcionários.

Os trabalhadores da Fidelidade podem, assim, comprar ações da empresa por 9,62 euros, preço que acomoda o tal desconto de 5% face ao valor pago pela chinesa Fosun, que em maio adquiriu as seguradoras do grupo CGD.

«O lote de ações reservado à aquisição por trabalhadores, a concretizar através de OPV, tem por objeto 6.050.000 ações escriturais e nominativas, com o valor nominal de 3,15 euros cada, representativas de 5% do capital social da Fidelidade, Companhia de Seguros», lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

Essas ações serão então vendidas ao preço de 9,62 euros, valor que decorre da decisão aprovada em dezembro de 2013, segundo a qual as ações objeto da OPV serão vendidas ao preço que vier a ser fixado no âmbito da venda direta de referência, deduzido de 5%, lembra a Lusa.

A venda direta do conjunto de 80% do capital das seguradoras do grupo financeiro (Fidelidade, Multicare e Cares) ocorreu a 15 de maio, por uma verba de 1.038 milhões de euros.

Entretanto, a companhia Fidelidade formalizou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Espírito Santo Saúde (ES Saúde), propondo pagar pela empresa 4,72 euros por ação, numa comunicação apresentada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A ES Saúde já recebeu outras duas ofertas, uma do grupo mexicano Ángeles, que pretende pagar 4,50 euros por ação, e outra do Grupo Mello, dez cêntimos abaixo deste valor.