O grupo automobilístico Fiat, que atualmente controla 58,5% da Chrysler, anunciou que vai comprar os restantes 41,5% da empresa norte-americana por 3.650 milhões de dólares (2.647,4 milhões de euros).

O anúncio da compra da totalidade da Chrysler, já avançado na quarta-feira à noite, levou a uma valorização de 16,4% das ações da Fiat na bolsa de Milão e também favoreceu o grupo investidor Exor, pertencente à família Agnelli.

A marca italiana indicou que não será necessário um aumento de capital para concretizar esta operação.

Num comunicado assinado por Sergio Marchione, administrador delegado da Fiat e presidente da Chrysler, e pelo presidente da Fiat, John Elkann, o grupo italiano afirmou que vai pagar ao fundo de pensões VEBA, do sindicato norte-americano UAW, um total de 3.650 milhões de dólares, parte dos quais serão pagos sob a forma de dividendos extraordinários da Chrysler.

O acordo deverá estar concluído até 20 de janeiro, referiu a Fiat, que com a aquisição de 100% do capital da Chrysler se torna no sétimo grupo automóvel do mundo.