A fábrica que o grupo BorgWarner está a construir em Viana do Castelo deverá empregar pelo menos 630 trabalhadores, disse hoje à Lusa fonte da administração da multinacional norte-americana.

Esta instalação resultará da transferência gradual, até 2015, da produção da atual unidade de Valença para a nova fábrica, que já começou a ser construída no Parque Empresarial de Lanheses, em Viana do Castelo.

A administração da multinacional, que produz acessórios para a indústria automóvel, garantiu à Lusa que todos os cerca de 550 postos de trabalho de Valença serão mantidos na fábrica de Viana do Castelo, «incluindo trabalhadores temporários».

Aos trabalhadores que aceitem a mudança para Viana do Castelo a empresa assegurará, gratuitamente, o transporte, numa viagem diária de cerca de 100 quilómetros.

Esta nova fábrica, construída para assegurar a expansão e aumento da capacidade produtiva, representa um investimento de 25 milhões de euros.

A administração da BorgWarner prevê que, além dos atuais postos de trabalho, a força laboral, depois de transferida a produção, deverá aumentar «pelo menos em mais 80 trabalhadores» na fábrica de Viana do Castelo.

«Mas, começando a trabalhar com vários clientes em novos projetos, esperamos que esse número ainda aumente», sublinhou a mesma fonte.

A nova fábrica, que está a ser construída desde agosto, inclui 15.000 metros quadrados de área de produção e um «espaço adjacente para uma futura expansão».

A empresa admite que esta «maior capacidade de produção» permitirá «servir eficientemente os clientes com várias tecnologias ecológicas». Como os radiadores de recirculação dos gases de escape (EGR), tubos EGR e módulos de controlo de velas incandescentes, «tecnologias chave para motores modernos tendo como objetivo a redução das emissões», acrescentou a administração.

A construção da nova fábrica integra a estratégia da BorgWarner de expansão da produção da tecnologia de arranque a frio para motores diesel, surgindo também para «satisfazer a crescente procura» de tecnologias EGR.

Aquele grupo é um dos maiores produtores mundiais de acessórios para a indústria automóvel, com 57 fábricas instaladas em 19 países. Trabalha para praticamente todos os grandes construtores automóveis.