O grupo Martifer vai investir 12 milhões de euros na modernização dos Estaleiros de Viana e promete pagar «salários iguais ou superiores» aos ex-trabalhadores daquela empresa recrutados pelo novo subconcessionário, informou fonte sindical.

Esta informação consta de uma nota enviada hoje pelo Sindicato dos Metalúrgicos e pela União de Sindicatos de Viana do Castelo (CGTP) aos trabalhadores da empresa pública, à qual a Lusa teve acesso, dando conta dos resultados da reunião realizada na sexta-feira, em Oliveira de Frades, com a administração do grupo privado.

Este encontro, lê-se na nota, serviu para a administração da Martifer dar a conhecer aos representantes sindicais «as suas intenções para o futuro a médio e a longo prazo», em termos laborais, do projeto para a subconcessão dos estaleiros a assumir pela nova empresa West Sea.

Ainda de acordo com a mesma informação, a empresa «está já a recrutar ex-trabalhadores» dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) para começar a laborar e «prevê a curto prazo iniciar a construção dos navios asfalteiros para a Venezuela».

Além disso, explicam os sindicatos nesta informação, a West Sea - empresa criada pela Martifer para assumir a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos estaleiros «vai abrir instalações em Viana do Castelo» para proceder ao recrutamento prioritário de ex-trabalhadores dos ENVC, entre os 400 que pretende contratar.

Adiantam ainda, nesta nota, que receberam informação da administração garantindo que a empresa «pretende efetuar um plano de investimentos na ordem de 12 milhões de euros" e que os salários dos trabalhadores a recrutar pelo subconcessionário «serão iguais ou superiores aos praticados nos ENVC».

A 27 de janeiro, num plenário realizado na empresa, os trabalhadores dos estaleiros aprovaram uma moção autorizando o movimento sindical a pedir esta reunião ao subconcessionário e ao Ministério da Defesa.

Com a Martifer, a reunião visava, recorda a mesma informação, esclarecer as suas intenções relativamente à construção em Viana do Castelo de dois navios asfalteiros para a Venezuela, um contrato dos ENVC de 128 milhões de euros, «bem como saber o plano de contratação dos atuais trabalhadores» dos estaleiros pela West Sea.

Paralelamente a administração dos ENVC mantém em vigor, até 21 de fevereiro, o novo plano social com vista à rescisão amigável dos contratos de trabalho pelos mais de 450 funcionários que ainda têm vínculo com a empresa pública, integrando as sugestões entretanto apresentadas pelos dirigentes sindicais.

Além de indemnizações de um salário por cada ano de trabalho, este plano, de mais de 30 milhões de euros, prevê uma compensação no âmbito do fundo de pensões a converter em Planos Poupança Reforma. E também uma majoração nas indemnizações, no valor de 2.500 euros, em determinados casos sociais previamente identificados na empresa.