O Estado conseguiu recuperar os bens que o ex-presidente do BPN, Oliveira Costa, transferiu para o nome da sua ex-mulher.

A Parvalorem, sociedade pública que gere os ativos tóxicos do BPN, anunciou em comunicado que «procedeu hoje, através dos advogados do Dr. José Oliveira e Costa e da Dra. Yolanda Oliveira e Costa, ao resgate dos bens transmitidos a favor da sua ex-mulher em consequência do processo de divórcio ocorrido entre ambos em 2008».

A empresa «ficou na posse de nove bens imóveis com valor patrimonial tributário de 887.244,48 euros, assim como com o direito de reclamar a verba de 1.020.870 euros apreendida no âmbito processo crime n.º 4910/08TDLSB, que corre termos na 4ª Vara Criminal de Lisboa, depositado por terceiros à ordem daqueles autos».

A Parvalorem gere a carteira de créditos adquiridos no âmbito da reprivatização do BPN «por forma a contribuir para a minimização do esforço financeiro do Estado associado a esta operação», e o produto do resgate destes bens vai ser destinado à amortização parcial das dívidas de José Oliveira Costa junto da Parvalorem.

Em curso estão ainda «outras iniciativas judiciais tendentes à recuperação integral das verbas por liquidar».