A American Airlines e a US Airways anunciaram esta segunda-feira a conclusão do seu processo de fusão, criando a maior companhia aérea do mundo, a American Airlines Group.

«É um grande dia para nós», afirmou o presidente executivo da transportadora, Doug Parker, ao canal televisivo CNBC, citado pela agência Efe, acrescentando que a fusão será positiva para «investidores, clientes e trabalhadores».

A nova companhia, criada depois de vários anos de negociações, realiza cerca de 6.700 voos diários e serve mais de 330 destinos em 54 países, segundo dados divulgados num comunicado citado pela Efe.

As ações do American Airlines Group começaram hoje a negociar no índice tecnológico norte-americano Nasdaq e, uma hora depois do início da sessão, subiam um pouco mais de 2%.

A conclusão do processo de fusão tem também como consequência a saída da American Airlines da bancarrota, declarada em novembro de 2011.

Segundo o acordo de fusão, 72% das ações da nova entidade foram distribuídas entre acionistas, devedores e alguns trabalhadores de AMR (a companhia mãe de American Airlines), enquanto os 28% foram para os acionistas de US Airways.