Numa tentativa de estimular negócios, vão a leilão 52 espaços comerciais de Lisboa. Quando há mais estabelecimentos a fechar do que a abrir, a iniciativa promete arrendamentos a baixo custo.

O leilão decorre no dia 7 de novembro. Um dos imóveis que estará a leilão foi visitado pela TVI: uma loja na Rua de São Bento, número 233, zona privilegiada da capital. A base de licitação do imóvel, de 32 m2, é de 315 euros. No primeiro ano de arrendamento, o lojista paga o valor final em leilão. Mas a partir daí e durante cinco anos, o valor será fixo. No segundo ano, por este espaço, paga 385 euros, no terceiro ano 455 e no quarto ano 560 euros.

Só no quinto ano é que o vencedor vai pagar o valor que foi atribuído ao imóvel pela Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL): 700 euros.

Tanto a EPUL como o arrendatário podem denunciar o contrato antes dos cinco anos, desde que o façam com um aviso prévio de três meses.

O projeto pode ser uma forma de dar a volta à crise. Há espaços comerciais com 26 m2 que começam nos 135 euross, com intervalos de licitação de 5 euros. Rendas a baixo custo em Telheiras, Alta de Lisboa, Parque das Nações ou Entrecampos, por exemplo.