A Comissão de Trabalhadores da Portugal Telecom (PT) reiterou esta quinta-feira que todos os responsáveis envolvidos no investimento na Rio Forte, do Grupo Espírito Santo (GES), têm de apresentar demissão dos cargos, à semelhança de Henrique Granadeiro.

Granadeiro demite-se da Portugal Telecom

Em declarações à Lusa, fonte da CT da operadora disse que «todos os envolvidos têm de seguir o caminho de Henrique Granadeiro», que hoje apresentou a renúncia aos cargos de presidente executivo e do conselho de administração da operadora, que está em processo de fusão com a brasileira Oi.

«Continuamos a reivindicar que têm de ser apuradas as responsabilidades de todos os envolvidos», salientou um dos membros da Comissão de Trabalhadores.

No seu último comunicado, a CT tinha pedido aos administradores envolvidos no empréstimo de quase 900 milhões de euros à Rio Forte para devolverem os bónus anuais que receberam desde 2010.

Em comunicado, a CT adiantava que «qualquer administrador envolvido nos empréstimos à Rio Forte não tem condições para continuar a ser administrador de nenhuma empresa do universo PT».

Por isso, «todos os administradores envolvidos neste empréstimo à Rio Forte devem devolver os bónus anuais que receberam desde 2010, ou seja, desde a venda da participação da PT na Brasilcel à Telefónica, incluindo os bónus extraordinários», acrescentavam os representantes dos trabalhadores.

Granadeiro demite-se dos cargos um dia depois do ministro da Economia, António Pires de Lima, ter tecido duras críticas ao comportamento da administração da PT no caso que liga a operadora ao BES.