As empresas chinesas aproveitaram as privatizações da EDP, REN e Caixa Seguros para entrarem no mercado português nos últimos três anos, período em que as instituições financeiras ICBC e Bank of China abriram escritórios em Lisboa.

A primeira privatização a arrancar sob o Governo de Pedro Passos Coelho foi a da EDP, em dezembro de 2011, com o anúncio da venda de 21,35% da elétrica portuguesa à China Three Gorges, por 2,69 mil milhões de euros.

Em fevereiro do ano seguinte foi a vez da venda da REN, com os chineses da State Grid a ficarem com 25% do capital, enquanto os restantes 15% ficaram nas mãos dos árabes da Oman Oil Company, num valor total de 593 milhões de euros.

Só a State Grid pagou 387 milhões de euros pela posição na empresa gestora das redes energéticas nacionais.

O início deste ano foi marcado pela venda de 80% da Caixa Seguros, seguradoras do grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD), à chinesa Fosun Internacional, por mil milhões de euros.

Pelo meio, a 15 de fevereiro de 2012, assistiu-se à inauguração do centro tecnológico da Huawei em Portugal, um investimento de 10 milhões de euros, que se juntou aos 40 milhões de euros que a multinacional já tinha investido no mercado português.

Ainda no mesmo mês, o Banco Internacional e Comercial da China ICBC abria o seu primeiro escritório em Portugal, mais precisamente em Lisboa.

Em 2013, foi a vez do Bank of China escolher a capital portuguesa para abrir um escritório e um balcão de atendimento.

Ainda no mesmo ano, a espanhola Veolia anunciava a venda do seu negócio e água em Portugal, Veolia Water Portugal, aos chineses Beijing Enterprises Water Group, num montante de 95 milhões de euros.

Esta operação foi considerada a maior transação no setor de água na Península Ibérica desde a recompra de ações e posterior Oferta Pública de Venda (OPA) de exclusão da Águas de Barcelona, em 2009.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, efetua uma visita de Estado à China entre 12 a 18 de maio, a convite do presidente Xi Jinping.

Empresas como PLMJ, Cofaco Açores, Sovena, Inapal, Simoldes, WeDo Consulting, CTT, Visabeira, REN, Corticeira Amorim, Galp Energia, Bial, InvestBraga, José de Mello, JP Sá Couto, Metropolitano de Lisboa, Estoril Sol, Adega de Borba ou Casa Ermelinda de Freitas integram a comitiva.

Do lado da banca, BES, BPI, Banco Espírito Santo do Oriente, BCP e Banco Finantia também marcam presença.

Cavaco Silva chega inicia segunda-feira uma visita à China, que começa em Xangai e inclui Pequim e Macau na viagem.