A empresa portuguesa Serrata assinou esta quarta-feira um contrato de cinco milhões de euros para três anos com um dos maiores grupos do Dubai para exportação de azeite para oito países do Golfo Pérsico, destacou o vice-primeiro-ministro nos Emirados Árabes Unidos.

«Foi assinado um contrato para todos os países do Golfo com um grande produtor de azeite português, do melhor azeite nacional. O valor potencial do contrato é cinco, ou mais, milhões de euros», disse Paulo Portas, no âmbito da missão empresarial ao Qatar e Emirados Árabes Unidos.

O contrato foi assinado entre a Serrata e o grupo Al Habtoor, um dos maiores do Dubai, e de acordo como diretor de Exportação da produtora de azeite portuguesa, Joaquim Martins, «é feito por blocos de três anos», sendo exportadas só no primeiro ano 500 mil garrafas.

«O projeto inicia-se agora, é um projeto a longo prazo com perspetivas no primeiro ano de uns 20 contentores, mas o crescimento começa sobretudo a partir do final de 2014, com o próprio crescimento deste grupo na área da distribuição alimentar», explicou Joaquim Martins.

Este é mais um passo no projeto de internacionalização da empresa, iniciado há quatro anos, e que Joaquim Martins classifica como «uma garantia de sucesso a curto, médio e longo prazo».

Quanto ao valor do contrato, o responsável considera que os cinco milhões de euros «é uma previsão muito por baixo».

«Um grupo destes tem ambições muito grandes, para números seguramente acima destes e sobretudo depois de três anos [aumentará] para números muito mais altos», antecipou.

Presente em 41 países, o diretor de exportação da Serrata refere que este negócio «significará 3 ou 4% do volume de negócios dentro de três anos para exportação», mas sublinhou que este contrato «é um dos maiores contratos da empresa» e «um projeto com um crescimento garantido e muito acelerado», pelo que a estimativa é de que nos próximos cinco a seis anos, o volume de negócios para exportação esteja muito próximo dos 10%.