A administração da DanCake Portugal fechou um pré-acordo com várias instituições bancárias que irá permitir «ultrapassar constrangimentos financeiros, relançar a empresa e assegurar os 500 postos de trabalho».

Num comunicado enviado à agência Lusa, a empresa, fabricante de bolachas e biscoitos, tostas, bolos e produtos de confeitaria, diz que «fechou um pré-acordo com várias instituições bancárias que lhe permitirá ultrapassar as dificuldades recentes e implementar um plano de reestruturação a médio prazo».

Esse plano, refere a nota, «prevê otimizar custos e dinamizar as vendas internacionais da empresa, garantindo a manutenção dos 500 postos de trabalho, 90% dos quais afetos às operações fabris, na Póvoa de Santa Iria e em Coimbra».

O comunicado esclarece que o pré-acordo foi alcançado com quatro instituições bancárias e «dotará a empresa de capacidade para cobrir o défice de tesouraria nos dois próximos anos, permitindo, durante este período, a recuperação das vendas perdidas nos últimos anos, e assegurando a partir dessa data a viabilidade definitiva da empresa».

O acordo «prevê o congelamento de parte da dívida atual da empresa, e dotará a empresa de novos meios, essenciais à implementação de um plano de reestruturação e crescimento, que será executado por uma nova equipa de gestão».

O documento enviado à Lusa acrescenta que «esta operação incluirá uma linha de financiamento que irá permitir regularizar dívidas não correntes», acumuladas nos últimos anos junto dos fornecedores da empresa, e que «o instrumento apenas será disponibilizado em setembro», ficando a sua utilização «condicionada à verificação de condições ainda em definição pelos bancos financiadores».

Em junho, a administração da DanCake Portugal admitiu ter havido atrasos no pagamento dos salários e subsídios dos trabalhadores, mas garantiu que iria pagar os valores integralmente.

Num comunicado divulgado a 05 de junho, a empresa referia que, num «contexto de grande dificuldade, e sem prejuízo de atrasos que não foi possível evitar, a administração conseguiu assegurar que os salários, subsídios de férias e subsídios de Natal fossem integralmente pagos, tendo tudo feito para honrar os seus compromissos com os trabalhadores».

A nota da empresa adiantava que, desde finais de 2011, a DanCake Portugal atravessava «um contexto financeiro muito difícil» que comprometia a continuidade das suas operações e «tinha iniciado um processo de reestruturação com o objetivo de permitir a sua viabilidade e consequente manutenção dos postos de trabalho».