Os CTT ¿ Correios de Portugal preveem que a distribuição de correio decorra «com normalidade» e que as 624 lojas estejam abertas durante a greve de sexta-feira.

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, a empresa afirma que, caso haja algum constrangimento, espera que «seja localizado e facilmente recuperável no dia útil seguinte» à greve.

Os Correios dizem ainda que, «de modo a salvaguardar ao máximo o serviço aos seus clientes», avançaram com os habituais planos de contingência, dando prioridade ao correio azul, registado e expresso, bem como o correio social (contendo vales de prestações sociais).

O pré-aviso de greve não abrange os postos de correio explorados por parceiros dos CTT, bem como as empresas de transportes que fornecem serviços à empresa.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) convocou uma greve geral para sexta-feira, em protesto contra a privatização total dos CTT.

A maior parte do capital dos CTT - Correios de Portugal, 70%, foi privatizada este ano, com dispersão em bolsa.