O número de novas empresas constituídas em 2013 aumentou 12,8% em relação ao ano anterior, totalizando 35.296, o melhor registo desde 2009, enquanto as insolvências e as dissoluções baixaram, segundo o barómetro Informa D&B divulgado esta terça-feira.

De acordo com estudo, 2013 foi «o primeiro ano desde 2009 em que as insolvências registam uma descida face ao ano anterior», com uma queda de 7,6% para 5.473 processos iniciados, enquanto as dissoluções baixaram 20% em relação a 2012, para um total de 14.504.

Serviços, retalho e alojamento e restauração foram os setores de atividade que registaram os maiores crescimentos ao nível das constituições e também aqueles que apresentam maiores números de novas empresas em termos absolutos.

No setor dos serviços foram criadas 11.079 empresas (mais 14% do que em 2012), no retalho 5.641 novas empresas (uma subida de 18%) e no alojamento e restauração 3.712 (um aumento de 14%).

Em termos geográficos, o Norte liderou em número de constituições, com 12.720 novas empresas, seguindo-se a região de Lisboa, com 11.327 constituições, e o Centro, com 6.183 novas empresas constituídas.

As novas empresas constituídas em 2013 envolveram 46.256 empreendedores e a maioria (94%) tinha unicamente pessoas singulares na sua estrutura acionista.

No que respeita às insolvências, a descida foi verificada em oito dos 13 sectores, sendo os que mais contribuíram para a descida a indústria transformadora (-262 empresas) e a construção (-204 empresas).

No entanto, o setor da construção liderou as insolvências em 2013, com 1.087 processos, ainda assim menos 16% que no ano anterior.

A descida de insolvências foi verificada em todas as regiões, à exceção de Lisboa, onde se registou uma subida de 6%, que corresponde a mais 78 insolvências do que em 2012.

«Se combinarmos o aumento de constituições de novas empresas com a redução de encerramentos, verificamos que alcançamos a melhor taxa de nascimentos [de empresas] por encerramento desde 2009, ou seja, 2,4 novas empresas por cada empresa dissolvida, o que significa um aumento de 41% face a 2012, ano em que este rácio se situou nos 1,7», afirmou a diretora geral da Informa D&B, Teresa Menezes, citada no comunicado.