A consultora portuguesa Sinfic ganhou um projeto de «cartografia censitária, no registo da população» da República Democrática do Congo (RDC), no valor de 15 milhões de euros, disse este domingo à Lusa um administrador da empresa.

O projeto internacional terá «uma duração de 14 meses para o censo da população e da habitação», que se estima em «cerca de 70 milhões de pessoas» em todo o território da RDC, precisou o administrador com o pelouro da internacionalização, Paulo Amaral.

A Sinfic vai «iniciar agora o recrutamento» e seleção dos «colaboradores locais», que vão utilizar «tecnologia de ponta», através de uma parceria da consultora e da Fujitsu, para «cadastrar e registar os dados da população» num equipamento tipo Tablet, acrescentou Paulo Amaral.

O projeto na RDC, liderado pela consultora portuguesa, foi «ganho em concurso público internacional» por um valor de «cerca de 15 milhões de euros», devido à «plataforma de tecnologia inovadora e desenvolvida especificamente para o levantamento censitário», argumentou.

A plataforma tecnológica desenvolvida, registada como Bawoo, recorre a localização geográfica do sistema norte-americano «GPS (Global Position System) e do russo Gnoss», revelou ainda o responsável.

O trabalho «inovador no Congo está a abrir portas» em Angola, Brasil, Moçambique, Tunísia e «agora mesmo em Marrocos», acrescentou o administrador Paulo Amaral, escreve a Lusa.

A faturação da Sinfic, no contexto do grupo, foi de 60 milhões no último ano com Portugal a representar apenas 10 milhões do total de proveitos da empresa, concluiu Paulo Amaral.