Quatro comerciantes foram detidos nos últimos dois dias pelas autoridades venezuelanas por, alegadamente, não cumprirem os preços máximos de venda ao público fixados pelo Executivo, num caso que envolve um talho propriedade de portugueses, escreve a Lusa.

Segundo Luís Mota Domínguez, intendente da Proteção dos Direitos Socioeconómicos da Venezuela, as detenções ocorreram no âmbito da nova «ofensiva económica» lançada pelo Governo do Presidente Nicolás Maduro.

Em declarações aos jornalistas, o mesmo responsável explicou que três das detenções foram executadas no talho «Mundo de la Carne», em Cátia, a oeste de Caracas e a outra num matadouro de Santa Lucía, no estado Venezuelano de Miranda, a sul da capital venezuelana.

Por outro lado, precisou, que o «Mundo de la Carne» vendia frango a um preço superior ao valor fixado pelo Executivo, por indicação do fornecedor, pelo que foi feita uma investigação que levou à quarta detenção.

Fontes da comunidade portuguesa na Venezuela disseram à agência Lusa que o «Mundo de la Carne» é propriedade de empresários portugueses radicados no país.

A agência Lusa tentou, sem sucesso, contatar com os proprietários do espaço para apurar se algum cidadão nacional está entre os quatro detidos.

1.130 funcionários do Estado venezuelano estão em atividade a fiscalizar os espaços comerciais na Venezuela.

As fiscalizações incidem sobre produtos alimentares, eletrodomésticos, vestuário e automóveis.