[Atualizada às 16.51]

O gestor português Carlos Tavares era apontado como o favorito na corrida à liderança do grupo Peugeot-Citröen, informação que veio a confirmar-se esta segunda-feira, através de um comunicado da empresa. O fabricante francês de automóveis procurava um novo executivo para suceder ao atual presidente e, de acordo com a imprensa internacional, o português Carlos Tavares seria o escolhido.

O gestor deixou a vice-presidência da Renault-Nissan, cargo que havia assumido há 3 meses, porque não estava disposto a esperar que o presidente se demitisse para chegar à liderança.

Carlos Tavares deixou a Renault depois de ter assumido publicamente a sua ambição de liderar o grupo, o que causou mal-estar interno.

A chegada de Tavares a um grupo concorrente da sua antiga empresa ocorre num contexto difícil para a Peugeot-Citroën, cujo volume de negócios baixou 3,8% nos nove primeiros meses do ano.

A marca francesa continua a ressentir-se das dificuldades no mercado europeu, onde faz mais de metade das suas vendas. Em outubro baixaram 0,9%.

O grupo lançou em 2012 um vasto plano de reestruturação das suas atividades em França e na Europa.

Durante algum tempo, Carlos Tavares foi apontado como favorito para liderar a marca britânica Aston Martin.