A autoridade que regula e fiscaliza a subsidiária do BES em Miami, ES Bank, está a investigar as regras de governação nas transações financeiras e de gestão dos ativos

A notícia avançada pelo jornal Público esta quinta-feira dá conta de uma inspeção levada a cabo pelo departamento da Florida do Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC) à subsidiária do Banco Espírito Santo (BES) em Miami, ES Bank.

Sob investigação está o cumprimento das boas regras de governação (compliance) em termos de transações financeiras e a gestão de ativos. A vistoria surge depois de suspeitas de branqueamento de capitais ou de outros ilícitos.

O FDCI vai ainda verificar se os clientes bancários estão protegidos em relação ao reembolsos de depósitos que lhes foram garantidos e se, ao nível da governação, o ES Bank Miami não tem conflito de interesses. Esta investigação enquadra-me na vigilância apertada exercida pelos reguladores norte-americanos sobre o setor bancário estrangeiro.

O ES Bank tem sido associado a movimentos do grupo BES em regiões como a Líbia (Aman Bank), o Panamá ou a Venezuela.

O Banco de Portugal (BdP) tem conhecimento da investigação do FDCI visto que tem acompanho a atividade do Grupo Espírito Santo fora do país, como por exemplo, nos EUA (Miami e Nova Iorque) e na América Latina. O objectivo do BdP é garantir que o GES não recorrerá aos bancos latino-americanos para financiar empresas do seu universo.