O Banco Espírito Santo (BES) colocou esta quarta-feira 750 milhões de euros de dívida subordinada, a primeira efetuada por um banco português nos últimos quatro anos, com a procura a ultrapassar largamente a oferta, avançou fonte do setor.

O valor da emissão estava inicialmente apontado para os 500 milhões de euros, mas «a fortíssima procura», que ascendeu a 3 mil milhões de euros, ou seja, seis vezes acima do montante da oferta, levou o BES a aumentar a emissão para os 750 milhões de euros.

Os títulos de dívida subordinada têm uma maturidade a 10 anos e a taxa de rentabilidade fixou-se em 7,125 por cento.

Trata-se da primeira emissão de dívida subordinada efetuada por um banco português nos últimos quatro anos. A dívida subordinada entra como capital no balanço da instituição, ajudando a aumentar a sua liquidez e a cumprir com os rácios de capital dos bancos, sendo na presente operação de grau 2 (Tier 2, ao abrigo das novas regras Basileia III).

Trata-se de um tipo de dívida que, em caso de falência, apenas atribui os direitos de seus titulares após a integral satisfação dos direitos dos credores principais.

A operação foi liderada pelas instituições financeiras Bank of America, Citigroup, Espírito Santo Investment Bank e Morgan Stanley.

O BES já tinha sido o primeiro banco português a emitir obrigações, mas de dívida internacional, ao concluir em outubro do ano passado uma emissão de 750 milhões de euros de dívida sénior sem garantia, na altura, mais de dois anos após a última operação do género (em 2010).