O porta-voz do Barclays esclareceu hoje que o banco desconhece qual o número de sucursais que serão encerradas no Reino Unido, não havendo ainda um prazo para a reestruturação do banco.

Esta posição do banco britânico foi assumida depois de o jornal «Financial Times» ter noticiado que o Barclays se prepara para encerrar 400 sucursais no Reino Unido e para reduzir centenas de postos de trabalho.

Numa declaração enviada por e-mail à agência de informação financeira Bloomberg, o porta-voz do banco refere que «o processo de reestruturação terá em conta as necessidades dos clientes, não havendo ainda um número certo de agências que serão encerradas, nem um prazo para tal ação».

Na edição desta quarta-feira, o jornal referia que o diretor executivo do grupo Barclays, Antony Jenkins, prepara-se para encerrar perto de 400 sucursais entre as 1.600 que detém no Reino Unido e reduzir centenas de postos de trabalho.

Jenkins, cujo banco foi alvo de um escândalo em 2012 devido à manipulação da taxa interbancária Libor, prevê apresentar os seus planos de reestruturação no mês de fevereiro, que deverão passar pela redução de centenas de postos de trabalho no banco de investimento, avança o jornal diário.

No âmbito do projeto de reestruturação, o banco britânico pretende substituir as 400 sucursais que vão ser encerradas pela abertura de pequenos balcões de representação nas cadeias de supermercados Asda.

Jenkins, que substituiu Bob Diamond no cargo de diretor executivo em 2012, na sequência do escândalo da taxa Libor, está centrado num plano de redução de custos no valor de 1.700 milhões de libras (cerca de 2.040 milhões de euros) para o próximo ano, segundo o Financial Times.

No final de 2012, o segundo maior banco britânico em termos de ativos contava com 24 mil funcionários na sua divisão de banca de investimento, como escreve a Lusa.