A rede social Facebook, que faz parte do dia-a-dia de mais de mil milhões de pessoas, comemora esta terça-feira o seu 10.º aniversário como uma empresa amadurecida, enquanto tenta adaptar-se ao envelhecimento da sua base de utilizadores.



A empresa criada num dormitório de Harvard em 2004 tornou-se um fenómeno e já assegurou o seu lugar no mundo dos gigantes tecnológico.

«O Facebook tornou o mundo mais pequeno e mais interativo», sublinhou o analista da Global Equities Research Trip Chowdhry, acrescentando que «o Facebook começou uma revolução social, mas pode não conseguir controlá-la».

O cofundador Mark Zuckerberg descreveu a sua missão como uma forma de «tornar o mundo mais aberto e mais ligado» e há quem diga que o conseguiu.

«Mais de 20% do tempo que passamos na Internet é passado no Facebook», afirmou Lou Kerner, fundador do Social Internet Fund.

No entanto, o Facebook pode vir a ser vítima do seu próprio sucesso.

A sua base inicial de utilizadores adolescentes e estudantes universitários expandiu-se e o Facebook é agora usado por pessoas de todos os grupos etários.

O Facebook afirma que tem um total de 1,23 mil milhões de utilizadores ativos por mês, incluindo 945 milhões que usam a rede social num dispositivo móvel, mas alguns analistas consideram que tem de reorientar a estratégia para uma base de utilizadores que está a envelhecer.

Um estudo do StrategyLabs sobre os utilizadores norte-americanos do Facebook mostra uma queda de 25% do número de utilizadores com idades entre os 13 e os 17 anos, bem como um aumento de 80% entre os utilizadores com mais de 55 anos

«As pessoas brincam dizendo que para os adolescentes o Facebook já não é 'fixe' porque a mãe também está, mas acho que já nem é só a mãe, a avó também está», observou Kerner.

Segundo a empresa de consultoria Social Bakers, os adolescentes continuam a representar a maior parte dos adeptos do Facebook e continuam a crescer.

«O grupo entre os 18 e os 24 anos continua a ser o maior», salientou Ben Harper. «Os nossos dados mostram um crescimento da audiência e das interações no Facebook e embora os adolescentes estejam a usar outras plataformas, também se mantêm no Facebook».

O Facebook também amadureceu como empresa. Teve uma entrada em bolsa desastrosa em maio de 2012, atormentada com problemas técnicos e viu o preço das suas ações cair para metade, mas começou a recuperar no ano passado, com as ações a baterem níveis recorde.

O Facebook conseguiu mostrar aos seus investidores que consegue gerar receitas através da publicidade, sobretudo através do segmento móvel, usado por cada vez mais pessoas, e viu os lucros dispararem em 2103 para 1,5 mil milhões de dólares (53 milhões em 2012), enquanto as receitas cresceram para 7,87 mil milhões de dólares (5,1 mil milhões em 2012).

Alguns analistas consideram que o interesse crescente do Facebook por parte mais velhos faz parte do seu processo de amadurecimento e representa a chave para gerar receitas e lucros.

Como sustenta Kerner, ser 'cool' não é necessariamente o objetivo a longo prazo do Facebook.