A ANA - Aeroportos de Portugal esclareceu esta quarta-feira que o aumento nas taxas do aeroporto de Lisboa já estava definido no modelo de regulação económica aplicado aos aeroportos do grupo e que as partes envolvidas foram informadas.

A Associação de Turismo de Lisboa (ATL) repudiou esta quarta-feira o aumento de taxas no aeroporto da Portela, anunciado pela ANA ¿ Aeroportos, e responsabilizou o Governo e a gestora pelo que diz ser «um ataque ao turismo» na região e no Centro e Alentejo.

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, a ANA - Aeroportos afirma que o «aumento tarifário já estava definido no modelo de regulação económica aplicado aos aeroportos» do grupo e que informou «todos os clientes» sobre o assunto em fevereiro.

A empresa salienta que realizou «uma apresentação das características e mecanismos subjacentes ao modelo de regulação económica, para que todas entidades envolvidas no processo de atualização tarifária ficassem esclarecidas quanto ao funcionamento do mesmo. Assim, nessas reuniões este mecanismo de ajustamento tarifário, tendo em conta a evolução do volume de passageiros, foi ilustrado e debatido com todos os presentes».

Por outro lado, a ANA realça que o aumento de taxas no aeroporto de Lisboa de 4,37% a 01 de junho e de 4,40% a 01 de dezembro de 2013 «não incide sobre todas as taxas reguladas», sendo que os valores das taxas de segurança se mantêm, por exemplo, e que «o impacto anual destes dois aumentos tarifários na evolução da receita regulada no aeroporto de Lisboa representa uma variação total anual 2,5%, sendo que o aumento a realizar a dezembro representa uma majoração de apenas mais 0,3%, face ao aumento verificado a junho».

Assim, refere a empresa, o aumento das taxas em dezembro no aeroporto da Portela apresenta «um acréscimo anual da receita das taxas reguladas por passageiro de 0,02 euros».

A ANA indica ainda que as taxas do aeroporto de Lisboa «não registavam qualquer evolução desde 2008» e que são «mais baixas face aos seus congéneres europeus», o que deixa a Portela numa posição «bastante competitiva».

Por fim, a empresa refere que «tem trabalhado de perto com o turismo com vista ao estabelecimento de uma estratégia comum de desenvolvimento do turismo da capital», desenvolvendo iniciativas como a promoção de mercados emissores de visitantes para capital, que se tem materializado em novas rotas e aumento de frequências para o aeroporto de Lisboa.