O ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social defendeu esta quarta-feira que pretende «continuar a proteger os mais idosos», aumentando as pensões e recuperando as pensões de 140 mil idosos afetados pela aplicação da Contribuição Extraordinária de Solidariedade, noticia a Lusa.

A ser ouvido na Comissão Parlamentar de Finanças e Administração Pública (COFAP) sobre o Orçamento do Estado para 2015, o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Mota Soares, adiantou que com os «18 meses consecutivos sem aumento de desemprego» vai ser possível «continuar a proteger os mais idosos».

Segundo Pedro Mota Soares, será possível continuar a aumentar as pensões «pela terceira vez para cerca de um milhão e cem mil pensionistas», o que representa «um aumento de 6,3 pontos percentuais, traduzindo-se num ganho médio de 221 euros anuais».

Por outro lado, adiantou que irá recuperar os rendimentos para 140 mil idosos, estando em causa os 5% que «no universo da Segurança Social tinham sido atingidos pela CES e agora recuperam as suas pensões na totalidade».

Disse também que pretende dar continuidade ao Programa de Emergência Social (PES), destinando-lhe «pelo terceiro ano consecutivo 251 milhões de euros, o que totaliza um investimento no combate à pobreza e à execução social por esta via, na ordem dos 983 milhões de euros».