O ministro do Emprego apontou os dados do Eurostat como sinais que «dão esperança e confiança».

Em declarações aos jornalistas, na Assembleia da República, questionado se esta descida é sustentável, Pedro Mota Soares limitou-se a afirmar que o executivo PSD/CDS-PP fará tudo o que puder «para promover medidas ativas de emprego, para promover a contratação» e que isso «é a primeira prioridade do Governo».

Interrogado sobre uma eventual revisão do quadro macroeconómico, o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social respondeu: «Os dados que estão inscritos no Orçamento do Estado para 2013 são dados que são dados recentes, são dados que são dados prudentes, não há nenhuma justificação para que essa expetativa seja neste momento alterada».

A previsão de taxa de desemprego mais recente do Governo para 2013, inscrita no Orçamento do Estado para 2014, é de 17,4%.