O ministro da Energia, Jorge Moreira da Silva, definiu esta quarta-feira como «muito significativo» o sinal dado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) com a proposta de descida média de 7,3% das tarifas transitórias de gás natural.

«De facto, 7 a 12% de descida de custos no gás é muito significativo, seja para os consumidores domésticos seja para os consumidores industriais», vincou Moreira da Silva, que falava aos jornalistas no ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, em Lisboa.

O governante falava após se saber que o regulador da energia propõe uma descida média de 7,3% das tarifas transitórias de gás natural, para o período que se inicia a 01 de julho, aplicadas aos clientes domésticos e pequenos comércios que se mantêm no mercado regulado.

Neste escalão estão os consumidores finais que têm um consumo anual inferior ou igual a 10.000 metros cúbicos.

De acordo com um comunicado hoje divulgado pela ERSE, a descida das tarifas, tanto para estes, como para os restantes consumidores, irá fazer-se em duas fases, começando já em maio, de forma a acomodar os valores à redução dos preços do petróleo.