TVI.

Vasco Paulo e Lígia trabalham em Vilnius e assistem à chegada do euro pela segunda vez







«Mas há algum receio em relação a uma eventual subida dos preços porque os salários são baixos, por isso as pessoas têm de ter uma vida regrada. Muitas têm, porque ainda têm bem presente o pós-comunismo. E, no inverno, as pessoas têm de ter algum dinheiro para pagar o aquecimento, por isso em pelo menos quatro ou cinco meses do ano tem de haver contenção».




«As pessoas têm muitas dúvidas com o euro, especialmente as idosas. Há dias queria trocar uma moeda de um euro de Portugal por um euro da Lituânia e a empregada recusou-se!»








«Os/as lituanos/as gostam muito de viajar pelo resto da UE, isso é à partida uma vantagem, não terem de fazer câmbios de dinheiro num sistema mais harmonizado. Em termos de atrair turistas também será uma vantagem».