O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou hoje a inclusão do yuan (moeda chinesa) no seu cabaz de moedas de reserva, do qual faziam parte até agora o dólar, o euro, a libra e o iene.

Para o FMI, o yuan "cumpre os atuais critérios para ser incluído neste grupo", cita a Lusa. 

A decisão reflete "os progressos realizados pelas autoridades chinesas nos últimos anos para reformar o seu sistema monetário e financeiro", explicou a diretora-geral, Christine Lagarde, numa declaração na sede da instituição, em Washington.
  A moeda chinesa passará então a constar do cabaz a partir de 1 de Outubro de 2016.