O secretário de Estado do Ambiente, José Mendes, revelou hoje que o novo modelo de gestão dos transportes públicos de Lisboa e do Porto está a ser estudado e não estará concluído em menos de dois meses.

Em declarações aos jornalistas, após uma visita ao Metropolitano de Lisboa seguida de uma reunião com trabalhadores, José Mendes reiterou que "a posição do Governo é que não haja subconcessões".

"O modelo que vai ser adotado está a ser estudado e ainda não há mais nada a adiantar nessa matéria", acrescentou o governante, sublinhando que a decisão "não é algo que se faça em menos de um par de meses".

O secretário de Estado do Ambiente, que tutela também a pasta dos transportes públicos, está a realizar hoje uma visita a várias empresas do setor, em Lisboa.

Depois de visitar as oficinas do Metro no Complexo de Carnide, José Mendes reuniu-se com estruturas sindicais, entre as quais a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

"Estamos numa nova era de diálogo, de cordialidade e respeito pelos trabalhadores. Esta foi uma reunião de cortesia para transmitir as preocupações dos trabalhadores", disse a dirigente sindical Anabela Carvalheira.

A sindicalista adiantou que está agendada uma nova reunião com o Governo para 15 de janeiro, para se "iniciar uma discussão séria e credível das negociações", e sublinhou que, "enquanto houver diálogo, não há motivo para greve".

Após visitar o Metro de Lisboa, o secretário de Estado seguiu para o Centro de Comando de Tráfego da Carris, em Miraflores, para conhecer as instalações e ter nova reunião com os trabalhadores.

Manuel Leal, do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP), disse também não estar prevista nenhuma greve, mas sublinhou que deve haver uma "definição rápida, até ao final do ano", sobre as reivindicações dos trabalhadores, sobre o processo de reestruturação do setor e reposição dos salários.

Também o porta-voz da Comissão de Trabalhadores da Carris, Paulo Gonçalves, considerou "prematuro" falar em formas de protesto e disse haver "grande expetativa" com o novo Governo.

A visita do secretário de Estado continua durante a tarde, no Terminal na Estação Fluvial do Cais do Sodré e reunião com a Comissão de Trabalhadores e Sindicatos da Transtejo e Soflusa.