O ministro da Economia defendeu, esta sexta-feira, que a visita a Portugal do presidente do Banco Central Europeu (BCE) é "um sinal positivo" e que Mario Draghi não propôs qualquer "plano B" ao país.

"O presidente do BCE ter vindo a Portugal é um sinal muito positivo. O presidente do BCE elogiou o caminho que a economia portuguesa está a seguir e salientou que é importante a economia portuguesa continuar a seguir este caminho", disse aos jornalistas Manuel Caldeira Cabral.

"Não o ouvi falar de nenhum ‘plano B’. O que o ouvi falar foi de um elogio ao esforço que Portugal já fez e ao empenho que o Governo tem em continuar este esforço de consolidação", acrescentou o ministro, à margem de uma conferência sobre biotecnologia, na Ericeira, Mafra.

O presidente do BCE, Mario Draghi, esteve presente na quinta-feira na primeira reunião do Conselho de Estado, a convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na qual fez uma exposição "sobre a situação económica e financeira europeia".

Durante a sua intervenção, o presidente do BCE afirmou que o banco central acolhe com agrado o compromisso das autoridades portuguesas em preparar medidas adicionais para cumprir as determinações do Pacto de Estabilidade e Crescimento, mas avisou que "não se justifica anular reformas anteriores".

Para o presidente do banco central, "os esforços desenvolvidos por Portugal foram notáveis e necessários" e há "sinais claros" de que estão a "dar fruto", mas persistem "desafios importantes, dado a área do euro continuar a ser negativamente afetada por um crescimento potencial reduzido e por um desemprego estrutural elevado".