O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, prometeu este sábado tentar repor o fundo de calamidades, um mecanismo que prevê cobrir riscos que não estejam cobertos pelos seguros destinados aos produtores agrícolas.

Infelizmente, constatei que com este PDR [Programa de Desenvolvimento Rural], negociado pelo anterior Governo há cerca de um ano, foi excluído do sistema de seguros um instrumento da maior importância, que era o fundo de calamidades. Estou neste momento a tentar repor esta situação, que implica a negociação com a União Europeia”, alegou.

Na sua intervenção na sessão de encerramento do Colóquio para Agricultores, que decorreu ao final da manhã em Lamego, Capoulas Santos lamentou, ainda, que o sistema de seguros agrícolas, reformulado há cerca de um ano pelo anterior Governo, não preveja “o fendilhamento”.

"Infelizmente, constatei que não está previsto [no sistema de seguros agrícolas] o risco do fendilhamento da cereja. A portaria está neste momento a ser alterada e estou a negociar com as seguradoras para que seja introduzido esse risco", acrescentou.

No seu discurso, o representante do Governo lamentou a situação de adversidade que os produtores estão a viver, especialmente os produtores de cereja, que tiveram grandes quebras de produção.

Espero que, a curto prazo, estes mecanismos sejam repostos. Desejo que os prejuízos sejam os menores possíveis e que, rapidamente, tenhamos os instrumentos que permitam ter mais garantias para situações que se venham a verificar no futuro", concluiu.