O Ministério Público abriu já cinco investigações ao caso BES/GES, existindo ainda o caso Monte Banco, em que Salgado foi constituído arguido.

Dois destes processos, revela o Diário Económico, foram abertos em 2004 e incidem sobre o esquema de financiamento alegadamente fraudulento do BES às empresas do grupo, bem como sobre uma empresa suspeita de funcionar como saco azul do GES para pagamentos não documentados.

Os novos indícios criminais, resultantes da auditoria forense encomendada pelo Banco de Portugal à Delloite e cujas conclusões foram conhecidas esta quinta-feira vem juntar um sexto processo.

Tanto o Banco de Portugal como a Comissão de Mercado e Valores Mobiliários admitem avançar com novos processos de contra-ordenação contra Ricardo Salgado e outros antigos administradores do BES, com base nos indícios de alegadas infrações detetadas pela consultora.